O Reiki conecta-nos

Encontros de Reiki

A azáfama diária e a proliferação das novas tecnologias absorvem-nos de tal forma que, hoje em dia, o que mais se vê são pessoas acompanhadas que estão sozinhas ou que preferem a companhia virtual.

Na última vez que fui ao cinema, quando chegou a hora do intervalo, fiquei impressionada com a quantidade de pessoas que de forma imediata recorreu ao tm (essencialmente grupos de jovens mas não só). E assim permaneceram durante o intervalo do filme, apenas tecendo alguns comentários esporádicos em relação à sua interação com o tm, mas sem sequer descolar os olhos do pequeno ecrã.
As pessoas desconectaram-se de si e dos outros. Perderam a capacidade de escutar, falar e contemplar, de sorrir e partilhar.

O Reiki é fabuloso! Reúne pessoas que não se conhecem e faz com que estabeleçam de imediato laços de amizade, compaixão e entendimento, que tantas vezes não temos daqueles que nos são mais queridos e próximos. Foi este o meu pensamento quando, no passado domingo, terminei o evento ‘Reiki em Alverca’. Vinha deliciada com a atmosfera de intimidade e união que se viveu naquela manhã. Com um sentimento de gratidão que não cabia dentro do peito, por constatar a recetividade, empatia, respeito e compaixão com que são vividos estes encontros. Dei por mim a pensar que quando nos cruzamos no supermercado, esplanada ou transportes públicos, o mais certo é nem olharmos direito para a pessoa do lado. Vamos metidos connosco e  imbricados nos nossos pensamentos, como se estivéssemos numa bolha.

O Reiki conecta-nos. Sintoniza-nos com a frequência da nossa essência e isso permite-nos sintonizar com a frequência dos outros. Passamos a andar mais atentos a tudo o que nos rodeia, estejamos numa fila de um serviço público ou a partilhar um momento de convívio com alguém querido.  Devolve-nos a capacidade de viver o momento presente, de apreciar e partilhar. A sentirmo-nos e a sentir o outro. Deixamos de ter medo da conversa sincera ou de oferecer o nosso melhor sorriso a alguém desconhecido só porque partilha o mesmo passeio que nós. Isto acontece porque deixamos de alimentar a voz interior que nos julga e desencoraja e passamos a alimentar a voz que nos aceita e reconhece o nosso valor. Desta forma, perdemos o medo de nos expormos porque percebemos que o verdadeiro medo reside na ausência dessa entrega. Aprendemos o significado de viver, dar e receber.

Grata à energia Reiki por me ensinar a SERFeliz e ter a oportunidade de contribuir para que outros possam conectar-se à verdadeira Felicidade – a sua essência – vivendo vidas mais Felizes e saudáveis.

CAM00279

Diana Feliz (140 Posts)

Diana Feliz, Terapeuta e Mestre de Reiki e Karuna. Professora de Yoga na Associação de Yoga Integral de Portugal. Fundadora do projeto SERFeliz, um projeto que nasce do coração. É lá que encontramos a nossa felicidade. Tem como pilares principais as técnicas e ensinamentos de dois métodos complementares: o Reiki e o Yoga, para inspirar pessoas a viver vidas mais felizes.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *