Faz tempo para…

 

O mundo pára. A Terra cura-se. O Ser humano evolui.

Com o evento da COVID-19, somos convidados a fecharmo-nos em casa, a isolarmo-nos dos que amamos, a reestruturar toda a nossa vida. Acima de tudo, somos convidados a expandir a consciência. A sentir nos ossos e na pele que o mundo não gira à nossa volta e que o planeta Terra não nos pertence. Mas antes, somos nós que lhe pertencemos.

Somos desafiados a ser humildes, a agir em função do todo e não apenas dos interesses próprios. Somos desafiados a sentir um espectro emocional que outrora não nos permitíamos sequer sentir, desviando facilmente a nossa atenção para distrações que atenuavam todo esse turbilhão emocional ou vazio interior.  A esmagadora maioria de nós não sabe, sequer, identificar as suas emoções, tão pouco relacionar-se com elas,  integrá-las e transformar(se) com elas. Mas é também isso (e muito mais), que a vida nos propõe neste momento da História… A reavaliar o nosso ´modus operandi´. Observar(nos)e tomar consciência, de uma vez por todas, da presunção e altivez do ser humano, face à mãe terra e face a todas as espécies que nela vivem. A reclassificarmos o nosso lugar na pauta da vida. A ressignificar paradigmas e a nossa significância, com humildade e consciência.

São tempos difíceis e desafiantes para todos nós, sem excepção. E só estamos no início desta travessia.
É urgente assumirmos a responsabilidade da nossa vida no mundo. Assumirmos a nossa verdade. A sábia frase: ‘todos somos Um’ é, agora, de conhecimento unânime. A força do invisível assume o seu destaque e deixa cair a arrogância do materialmente palpável. Muitas aprendizagens e experiências estão a chegar, saibamos nós manter a equanimidade e poder pessoal com humildade e sabedoria. Saibamos nós aproveitar um dos recursos mais valiosos e inestimáveis de sempre: O TEMPO.

À semelhança das crianças que esgotam a palavra ‘não’, nós, adultos, passámos a vida a gastar a frase ‘não tenho tempo’. E com essa atitude fomos arrastando para longe de nós tudo o que de verdade importa, o que nos realiza, o que dá sentido e propósito aos nossos dias. Fomos adiando a nossa maior missão nesta vida: simplesmente SER!

Tornámo-nos mecânicos e robóticos. Tornámo-nos corredores de objetivos materiais e descurámos profundamente a nossa essência: quem somos e o que fazemos aqui…

Agora, faz tempo para SER.

Faz tempo para… aproveitar o tempo, o recurso valioso e inestimável que não é recuperável e que todos têm acesso de forma igualitária (24h/dia).
Faz tempo para… enfrentar as tuas dores e medos silenciosos, há anos escondidos. E, com coragem, fazer essa travessia da noite escura da alma, renascer e aflorar no melhor de Ti.
Faz tempo para… parar de adiar a vida. Deixar de te auto-sabotares. Eliminar as crenças de que ‘já é tarde’ ou que já ‘és demasiado velho’ ou ‘demasiado novo’ ou ‘não tens recursos’ para…
Faz tempo para… destrinçar o que te faz bem, o que te faz crescer e Sê o melhor de Ti em tudo o que és e fazes.
Faz tempo para… (re)aprender a amar(te). Apreciar cada momento contigo próprio e com os outros.
Faz tempo para… escutar(te) de verdade. Delicia-te com cada palavra e entrega-te a 100% à mensagem que estás a escutar (interna ou externa).
Faz tempo para… a quietude. Estar parado/quieto e não fazer nada são duas coisas completamente distintas.
Faz tempo para… SER Feliz. Porque Ser Feliz é ser autêntico e viver alinhado com a tua verdade, com a tua voz e o teu sentir. Nada nem ninguém tem a responsabilidade de te fazer Feliz, da mesma forma, não é tua responsabilidade a felicidade alheia.
Faz tempo para.. fazer aquelas atividades que te aumentam o coração e o sorriso. Tudo aquilo que o excesso de afazeres e a escassez de ‘tempo’ (leia-se: ‘querer’) te levou a deixar para depois.
Faz tempo para… integrares em ti um novo ‘modus operandi’ que não te permita mais adiar a tua felicidade, que não te deixe mais para segundo, terceiro e quarto planos. Tu és a pessoa mais importante da tua vida! E a vida é o bem mais precioso que tens! Sê grato e merecedor de tudo o que te proporciona, ainda que os tempos não sejam fáceis.
Faz tempo para… Ser Paz. Ser amor. Ser compaixão. Ser Alegria.
Faz tempo para… Seres TU, esse Ser de Luz e de Paz que anseia ser revelado. Eleva-te com a sabedoria do silêncio.

Este é o momento. O momento de nos conectarmos, em verdade, com o mais profundo de nós, para que possamos conectarmo-nos de verdade e em verdade com os outros, com a vida. Sem estarmos em constante projeção da nossa sombra (aquilo que mais tememos) sobre os outros. 

Gratidão infinita. _/|\_

Diana Feliz (165 Posts)

Diana Feliz, Terapeuta e Mestre de Reiki e Karuna. Professora de Yoga na Associação de Yoga Integral de Portugal. Fundadora do projeto SERFeliz, um projeto que nasce do coração. É lá que encontramos a nossa felicidade. Tem como pilares principais as técnicas e ensinamentos de dois métodos complementares: o Reiki e o Yoga, para inspirar pessoas a viver vidas mais felizes.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *