O que precisas guardar de 2020

O que precisas guardar de 2020

 

E chegámos ao último dia de 2020.

Um ano que ficará na História individual e coletiva. Que desafiou crenças, paradigmas e valores. Que nos convidou a vários mergulhos internos, como poucos alguma vez tinham feito.

Re-equacionámos modos de vida, de estar, onde o SER se sobrepôs ao TER. 

Valores praticamente caducados e ultrapassados pela veloz evolução tecnológica e material, ressurgiram como elementares e essenciais ao bem-estar e felicidade. Sentimos a falta do abraço, do toque, do sorriso, da proximidade física, da liberdade, da saúde…

2020 foste único e transformador na tua hábil forma de nos convidar a mergulhar  interna e profundamente. No confronto cru do Eu com o Eu. Com tudo o que somos e nos pertence. Quem já levava prática desses encontros, pôde agora ir mais fundo, mais dentro, mais ao escuro de si.

Para mim, foste um ano muito equilibrado nos desafios e oportunidades que proporcionaste. Afloraste o amor, a criatividade, o silêncio, a cura, a sombra, a luz, os medos, os progressos, a mudança, a transformação. O sentimento mais constante em todos os altos e baixos foi, a GRATIDÃO. Por reconhecer a big picture mesmo quando doía, mesmo quando a incerteza apertava. Ensinaste-me com maestria a parar, a nutrir-me verdadeiramente, a honrar o ritmo da vida e a respeitar os meus ritmos internos. E eu que achava que mais de 10 anos de desenvolvimento pessoal e espiritual já me tinham dado essas grandes lições… Temos sempre, tanto mais caminho a percorrer do que aquele que a nossa imaginação consegue alcançar.

2020, deixaste a céu aberto a necessidade de nos amarmos a nós mesmos. De nos redefinirmos como a nossa prioridade. Jamais poderemos estar e dar aos outros, se não estamos e damos em verdade e totalidade a nós próprios. E eu que achava isto básico. Sabia-o na teoria e na prática. Mas, este ano, senti-o na pele e nos ossos. É a beleza do conhecimento e sabedoria espiritual… estes mergulhos em espiral cada vez mais profundos que nos levam a novos níveis de imersão e, diametralmente, nos elevam a novos níveis de ascensão. É belo e mágico.

Sem o autoamor como nos poderemos suster nos momentos sombrios e de solitude?
Sem a aceitação plena, como podemos não ser corroídos pela culpa, pelo medo e pelo peso da obrigação?
Sem o autoamor como podemos amar verdadeiramente os outros e ser feliz mesmo quando não retribuem como gostaríamos?

O amor por nós mesmos é essencial para uma vida plena, feliz e saudável.
– Que mudanças precisas fazer em 2021 para te amares mais?
– Que mudanças precisas fazer em 2021 para seres a tua prioridade?

Desejo que o novo ano seja abundante em saúde, amor, verdade, prosperidade e liberdade para todos nós!!

Feliz 2021!! 🙂

Com Amor,

 

Diana*
Diana Feliz (172 Posts)

Diana Feliz, Terapeuta e Mestre de Reiki e Karuna. Professora de Yoga na Associação de Yoga Integral de Portugal. Fundadora do projeto SERFeliz, um projeto que nasce do coração. É lá que encontramos a nossa felicidade. Tem como pilares principais as técnicas e ensinamentos de dois métodos complementares: o Reiki e o Yoga, para inspirar pessoas a viver vidas mais felizes.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *