O Valor da Perda

A perda de pessoas queridas é talvez a dor maior que se possa sentir.

Um acidente que nos deixe com ossos expostos e fraturados a perfurar a  pele e afetando nervos importantes que infligem dores insuportáveis, é um quadro horrível mas que o corpo por não suportar tanta dor, sucumbe e nos faz entrar em coma. Mas a perda de alguém que nos é querido não é silenciada e nada a faz parar de perfurar e sangrar o coração, senão o tempo, a compreensão, a gratidão e muito amor.

Hoje partilho parte da ‘minha’ dor, tristeza e gratidão…
Os últimos anos têm sido verdadeiros mestres para mim. Um autêntico despertar.
Pessoas que julgava de bom (extraordinário) coração, revelaram-se do mais medíocre e desprezível que o mundo tem. O que me valeu muitas perdas e não conquistas mas ganhei aquilo que ninguém pode tirar: quem sou.
Amigos e familiares próximos que se afastaram por não compreenderem as minhas escolhas e o caminho que decide seguir. Foi muito difícil…
A perda do meu querido tio Jorge, que deixou marcas profundas e uma saudade sem fim.
A perda (não física) da minha avó que o Alzheimer afastou para longe de nós. Avó, és e serás sempre tu.
Um relacionamento recente que me testa até ao limite da compaixão, do perdão e do autorespeito.
A perda da querida Inês, prima que partiu ontem e nos deixa a todos, especialmente pais, avós e irmãs com um vazio insuportável no coração.

Hoje, ainda mais, fortaleço a aprendizagem de que a vida é para ser vivida com amor e alegria, junto de quem nos quer bem e valoriza. Junto de quem está connosco, sempre, nos bons e maus momentos porque são essas pessoas que são merecedoras do nosso melhor. É com essas pessoas que vale a pena Ser e Construir.

 A vida é para fluir e não ferir.

É um crime quando nos chateamos e desprezamos momentos preciosos e pessoas irrepetíveis. Infelizmente, o ser humano tende a sentir-se muito focado no seu umbigo e não se apercebe da grandeza da vida, do valor do outro. Só quando a vida nos desperta(dor) é que percebemos o quão desalinhados estávamos de nós mesmos, da vida. São nestas alturas que distinguimos com clareza o essencial do supérfluo.
A minha questão é: porquê chegar ao ponto sem retorno? 

 

 
Para mim, esse é o valor da perda: quando nos consciencializamos de quem somos e não nos perdemos do essencial.
 
 

Há que entender que todos temos valor mas não estamos todos alinhados no mesmo nível de consciência. O que pode trazer sérios dissabores. É o mesmo que querer que um carro a gasolina ande a gasóleo. Não é possível. O que é possível é trocar de carro ou de combustível. Com as pessoas é igual. Há muita carência de responsabilidade emocional sobre o outro. As pessoas não são descartáveis mas nem todos agem em conformidade com tal. Não podemos querer ser feliz ao lado de quem não partilha o mesmo sentir, de quem não vê além de si. Temos sim, que encontrar quem se alimente do mesmo combustível que nós. 

Fico tristíssima comigo quando me deixo ir abaixo por insistir ‘meter gasóleo no carro a gasolina’. É algo que me assola a alma mas que estou a mudar. Há que aceitar que a vida é para viver em harmonia e alegria. E isso, querida Inês, irei fazê-lo por ti. Tu que eras o expoente máximo da doçura e alegria. É isso que nos vieste ensinar a Ser: amor e harmonia. Apesar do nosso curtíssimo convívio, os nossos corações entenderam-se desde o início. Falam a mesma língua. Grata por me lembrares, numa fase tão difícil, o que é essencial. Grata por seres uma menina que, mesmo tendo uma curta passagem de 17 anos, deixou a sua marca e luz em muitos corações. 

  

O essencial é, mesmo, que as perdas nunca sejam em vão. 
 Sejamos capazes de integrar as preciosas lições que vivemos e agradecer por tamanho crescimento.
Diana Feliz (118 Posts)

Diana Feliz, Terapeuta e Mestre de Reiki e Karuna. Professora de Yoga na Associação de Yoga Integral de Portugal. Fundadora do projeto SERFeliz, um projeto que nasce do coração. É lá que encontramos a nossa felicidade. Tem como pilares principais as técnicas e ensinamentos de dois métodos complementares: o Reiki e o Yoga, para inspirar pessoas a viver vidas mais felizes.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *